top of page

Entrevista Jeff Chapin

Escrito e traduzido por Benedita Pereira e Javier Rodrigues

Entrevista conduzida por Benedita Pereira, Helena Santos, Francisca Pedruco e Tomas Correia

Esta é a nossa primeira entrevista apenas digital: "Jeff Chapin: oficial militar vitalício fala com o Coffee Time News sobre sua vida e carreira dedicada ao serviço militar." Certifique-se de verificar.

A picture of Jeff Chapin at his prime
A picture of Jeff Chapin nowadays

Tomás:  Você conhece homens que foram para o exército pelos seguintes motivos?  Esses também são bons motivos para ingressar no exército?

A.  Para servir seu país e comunidade.

B.  Queria uma carreira

C.  Queria uma educação

D.  Fazia parte de uma tradição familiar

 

Jeff:  Todos esses são bons motivos.  Todos são apropriados e se aplicam a muitas pessoas.  Estudos que têm O que foi feito na última década pela Marinha dos Estados Unidos, chamado de Youth Attitude Surveys, nos diz que a maioria dos homens se junta ao exército porque está procurando um emprego... um emprego melhor do que o que está sendo oferecido em outro lugar. _cc781905-5cde-3194- bb3b-136bad5cf58d_ Eles afirmam que são patriotas e se precisarem virão, mas não se juntam para ser patriota ou patriota.  Eles se juntam para um emprego melhor.  Viagens, assistência médica, todos os benefícios que vêm com isso.  Mulheres, no entanto, ainda o motivo número 1 para ingressar nas forças armadas é que eles ainda veem isso como um avanço ... mas todos os outros motivos se aplicam.   Eles simplesmente não são os principais. 136bad5cf58d_ O principal para os homens é que eles estão procurando um emprego melhor e a educação e os benefícios vêm em segundo lugar.   Para as mulheres, é avanço social.

 

Tomás:  Você conheceu algum homem que foi para o exército pelas razões a seguir enumeradas? Estes também são bons motivos para se juntar ao exército?

  • Para servir o seu país e comunidade.

  • Queria uma carreira.

  • Queria uma educação.

  • Era parte de uma tradição de família

 

Jeff:  Essas todas são boas razões. Todas são portuguesas e são aplicadas a muitas pessoas. Estudos que foram feitos na última década pela marinha americana chamam «Youth Attitude Surveys» dizem-nos que a maioria dos homens juntam-se ao exército porque estão à procura de emprego… um emprego melhor que ofereceram outro lugar. Eles afirmam que são patrióticos e que se eles foram necessários, eles vieram, mas eles não vieram para serem patriotas ou patrióticos. Eles vieram por um trabalho melhor. Viagens, médicos, todos os benefícios que vêm com isso. Contudo, as mulheres continuam a ter como primeira razão para se juntarem ao exército elas visualizam isso como um avanço…, mas todas as outras razões são aplicadas. Elas só não são as principais. A principal para os homens é que eles estão à procura de um emprego melhor e a educação e os benefícios vêm em segundo. Para as mulheres, é o avanço social.

Tomas:  O que você lembra do acampamento?  Existe alguma história memorável que você gostaria de compartilhar?

 

Jeff:  O campo de treinamento é interessante porque o que você faz em nossa experiência… você pega pessoas de todas as partes do país e faz com que elas se juntem.  Você coloque-os sob pressão onde o trabalho em conjunto é necessário para concluir o treinamento com sucesso.   O que você está fazendo está fazendo com que pessoas de diferentes partes do país sejam obrigadas a deixar suas coisas pessoais de lado para esse esforço chamado treinamento básico.  O que o treinamento básico realmente dá às pessoas são as habilidades básicas que serão necessárias durante a condução de seu serviço: primeiros socorros básicos, limpeza básica, sobrevivência básica, vida em ambientes rurais ou ao ar livre._cc781905-5cde-3194 -bb3b-136bad5cf58d_ O treinamento que você recebe no treinamento básico me permitiu ir morar no inverno na floresta da Alemanha por 275 dias: vivendo na neve, no inverno, no verão._cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ Ajuda a unir os membros da sociedade sob pressão para atuar como uma equipe.  Eles aprendem que precisam trabalhar juntos e colocar seus sentimentos de lado._cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ A única experiência memorável em que consigo pensar é depois de uma caminhada de quatro dias no treinamento básico, onde você passa quatro dias na floresta no meio da noite onde está atravessando uma área e o comandante saiu da floresta … me chamou pelo meu nome no no meio da noite no escuro… não consegui vê-lo, mas ele sabia que era eu e me deu algumas instruções para o grupo e depois decolou.   nunca o vi os dois meses que estive lá.  Fiquei impressionado.  Ele sabia que eu estava lá entre duzentas pessoas no meio da noite depois de três ou quatro dias de caminhada através da floresta.  Apresentou-me o objetivo do treinamento básico que é formar esta equipe. 

 

Tomás:  Do que você se lembra do campo de treino? Há alguma história que você gostaria de compartilhar?

Jeff:  O campo de treino é interessante pelo o que tu fazes nessa experiência… tu trazes pessoas de todas as partes do país e fazes com que elas se juntam ao exército. Tu põe-los sobre pressão onde trabalhar juntos é necessário para tu completares o treino com sucesso. O que tu estás a fazer é, por pessoas de diferentes partes do país há serem forçadas a pôr os seus assuntos pessoais de lado para este esforço chamado treino básico. Na verdade, o que o treino básico dá às pessoas são habilidades básicas que vão ser necessárias durante a conduta dos seus serviços: primeiros socorros básicos, limpeza básica, sobrevivência básica, viver em ambientes rurais ou ao ar livre. O treino básico que se recebeu permitiu-me ir viver, no tempo de inverno, para a floresta da Alemanha durante 275 dias; vivi na neve, no inverno, no verão. Isso ajuda a unir os membros do exército, sob pressão, para que o desempenho seja como o de uma equipe. Eles aprendem que têm de trabalhar juntos e que têm de pôr os sentimentos de lado. A única experiência terapêutica de que eu me lembre é depois de quatro dias escondido no treino básico, onde tu passas quatro dias na floresta, no meio da noite, onde eu estava a atravessar uma área e o comandante sai do meio do bosque… chama- me pelo meu nome no meio da noite, no escuro... eu não o consegui ver, ainda assim ele sabia que era eu e deu-me algumas instruções para o grupo e depois foi-se embora. Eu nunca o tinha visto durante os dois meses que eu lá estive. Eu estava impressionado. Ele sabia que eu estava lá, no meio de duas pessoas, no meio da noite, depois de andar três ou quatro dias no meio do bosque. Isto me mostrou o objetivo do treino básico, que é formar aquela equipa.

Tomas:  Eu li que apenas uma pequena fração dos veteranos do Vietnã realmente viu o combate.  Isso é verdade?

 

Jeff:  Depende do que você quer dizer com uma pequena fração, porque, por exemplo... os tipos de experiência que as pessoas podem ter são tão diversos quanto sua imaginação._cc781905-5cde-3194-bb3b -136bad5cf58d_ Sentei-me com um veterano moribundo que foi o único homem que já conheci que jogou uma bomba atômica em uma vala e então ele teve que voltar e pegá-la e cuidar dela.  Isso não é combate, mas para mim é tão diverso e aquele apertar de um botão de medo.  A maioria das pessoas não é chamada para ferir outras pessoas, de modo que dentro e fora em si é verdade.  Você pode pesquisar isso e descobrirá que a resposta geralmente é sim, mas não exatamente sim.  Em uma carreira de vinte anos, você pode ser implantado várias vezes, então, se você está falando sobre o Afeganistão e o Iraque, a fórmula é geralmente cerca de 25% das pessoas que estão no país vão realmente disparar suas armas ou até mesmo enfrentar o inimigo e cerca de 75% estão lá para apoiar todos os outros.  É preciso muito backup.  Seria como um policial se deparando com um crime, mas então ele precisa de cinco pessoas para resgatá-lo .  Você tem que entender isso porque um soldado não participou do combate onde ele está - metade do tempo você nem sabe que está sendo alvejado.

 

Tomás: Eu li que apenas uma pequena parte dos veteranos vietnamitas é que na verdade viram combate. Isso é verdade?

Jeff: Depende com o que tu queres dizer com «uma pequena captura», porque por exemplo… os tipos de experiências que as pessoas podem ter são tão diversos quanto a tua imaginação. Eu senti-me com um veterano morto que foi o único homem, que conheceu, que lançou uma bomba atômica para uma vala e então ele teve de voltar lá, apanhá-la e cuidar disso. Isso não é combate, mas para mim é tão diverso e é como apertar um botão de medo. A maioria das pessoas não são recrutadas para magoar outras pessoas, de modo que por si só seja verdade. Tu podes pesquisar isso e descobrirás que a resposta geralmente é sim, mas não exatamente sim. Em uma carreira de vinte anos, tu podes ser recrutado várias vezes, então se tu estás a falar sobre o Afeganistão e o Iraque, a fórmula é geralmente de cerca de 25% das pessoas que estão no país irão realmente disparar com as suas armas ou até mesmo enfrentando o inimigo, e os 75% restantes estão lá para apoiar todos os outros. É preciso muito suporte. Seria como se um polícia estivesse a desvendar um crime, mas ele precisa de cinco pessoas para o ajudar. Tu tens de entender isso, o porque de um soldado não participar na guerra onde está – na metade das vezes tu nem sabes que estás a levar com um tiro.

Benedita:  Foram feitas avaliações psicológicas no campo de treinamento?  Alguns homens não foram enviados para a guerra por serem considerados mental ou emocionalmente incapazes de lidar com a guerra?

 

Jeff:  Não testemunhei nada parecido no treinamento básico.  Da maneira que fazemos, aplicamos vários testes para as pessoas que estavam se inscrevendo para entrar a triagem psicológica e emocional militar e geral é feita naquela época.   Eu sei que é uma percepção comum que durante a era do Vietnã havia pessoas que foram convocadas e passaram pelo campo de treinamento e seus problemas mentais ou problemas emocionais não surgiram sob o estresse do treinamento básico.  Não é tão comum hoje porque não selecionamos todos.  Só permitimos pessoas que podem passar no teste para chegar ao treinamento básico. 

 

Benedita: Eram feitas estimativas psicológicas no campo de treino? Alguns homens não foram enviados para a guerra porque foram considerados mentalmente ou emocionalmente incapazes de lidar com a guerra?

Jeff: Não presenciei nada parecido no treino básico. Da maneira como fazemos, nós aplicamos vários testes às pessoas que se inscrevem para o serviço militar, e a triagem psicológica e emocional é feita naquele momento. Sei que é uma percepção comum que, durante a Era do Vietnã, havia pessoas que eram recrutadas e que passavam pelo campo de treino, e os seus problemas emocionais ou emocionais não vinham ao de cima sob o estresse do treino básico. Não é tão comum hoje porque não recrutam toda a gente. Nós apenas permitimos que pessoas que podem passar no teste cheguem ao treino básico.

Benedita:  Ao longo dos anos, como mudou a imagem do Vietnam Vet?  Nos filmes, é claro que o público americano não os honrou imediatamente após a guerra.  Como a atitude pública mudou ao longo dos anos?

 

Jeff:  Vou te dar uma estatística.   Na Segunda Guerra Mundial ...... América foi laissez-faire (interferência mínima do governo) durante a Primeira Guerra Mundial e levando à Segunda Guerra Mundial, a América saiu e se tornou uma nação global, então foi preciso um esforço e hoje olhamos para os veteranos da Segunda Guerra Mundial e dizemos que eles foram heróicos. _cc781905-5cde-3194 -bb3b-136bad5cf58d_ Bem, isso é verdade, mas ao mesmo tempo a América passou por uma Guerra da Coréia, que foi uma Guerra das Nações Unidas, depois foi para a Guerra do Vietnã e há mais etapas do que isso, mas na Guerra do Vietnã eles voltaram para o recrutamento e reunindo todas as pessoas diferentes, mas as pessoas comuns foram recrutadas em uma taxa mais alta do que as pessoas de meios, então há uma atitude diferente do tipo de pessoa que você está trazendo para o serviço. _cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ A estatística que eu queria dar a você foi na Segunda Guerra Mundial o a O alistado médio tinha vinte e seis anos... não um adolescente.   A idade do alistado veterano do Vietnã era dezenove, então os alistados do Vietnã eram muito mais jovens e menos maduros.  No entanto, as estatísticas e estudos feitos sobre a Segunda Guerra Mundial: a primeira vez que os americanos estiveram em uma guerra verdadeiramente global.  Na Primeira Guerra Mundial, os Estados entraram tarde e não fizemos quase nada.  Na Segunda Guerra Mundial, quando os americanos foram enviados para a Europa e tiveram o primeiro contato com o inimigo - eles fugiram, jogaram a arma no chão, ficaram com medo e foi muito decepcionante.  É fácil de entender, mas quando você olha para trás, eles foram corajosos em fazer isso, mas a maioria deles não fez certo da primeira vez.  O veterano do Vietnã ... 0,93% dos soldados convocados em seu primeiro contato se levantaram e lutaram e lutaram sem hesitação.  Eles têm uma imagem ruim às vezes, mas eles são mais honrados na verdade do que nossos ancestrais.  Eles estavam mais dispostos a agir como patriotas no Vietnã do que na Segunda Guerra Mundial.  No Segunda Guerra Mundial, sentimos que era a guerra da Europa ou a guerra do Japão... não era a nossa guerra para a pessoa comum.   Não estávamos tão dispostos ou ansiosos para sair e fazer isso .  Com o Vietnã, a maioria foi convocada e não pediu para entrar e mesmo tendo sido convocada, mais de 93%, foi e lutou e fez exatamente o que era esperado._cc781905-5cde- 3194-bb3b-136bad5cf58d_ Então a imagem está ruim eu acho, porque eu acho que a imprensa americana não cobre a verdade._cc781905-5cd e-3194-bb3b-136bad5cf58d_ Em vez de tentar encontrar a verdade, eles estão tentando encontrar uma impressão com a qual possam vender jornais.  Muito do que vemos na cultura moderna e na história moderna é marketing.  Não é fato.  Como aluno, você é maravilhoso coisas e você estuda muito e dá tudo no que está fazendo e a maioria das pessoas na sua vida realmente não reconhece todo o trabalho que você faz.   veteranos.

 

 

Benedita:   Ao longo dos anos, como mudou a imagem dos veteranos do Vietnã?

Nos filmes, é claro que o povo americano não os honrou imediatamente depois da guerra. Como é que a atitude do povo mudou nestes anos?

 

Jeff:   Eu vou-te dar uma estatística. nós dizemos que eles eram heroicos.  Bem, isso é verdade, mas ao mesmo tempo a América esteve na Guerra da Coreia, que era uma guerra das Nações Unidas, depois entrou na Guerra do Vietnã e existe mais passos do que estes, mas na Guerra do Vietnã o governo americano voltou ao recrutamento e trouxe pessoas diferentes juntas, mas pessoas normais foram selecionadas para posições mais altas a uma maior frequência do que as pessoas mais ricas, então há uma atitude diferente por parte das pessoas que nos trazemos para o serviço.  A estatística que quero dar-vos é que na Segunda Guerra Mundial a maioria dos selecionados tinham 26 anos … não adolescentes._cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ A idade do Veterano vietnamita era 19 anos, então recrutados do Vietnã eram muito mais novos e menos maduros. Mundial.  Na Primeira Guerra Mundial, os EUA vieram tarde de mais e nós não fizemos quase nada.  Na Guerra Mundial, quando os americanos Segunda foram postos na Europa e eles tiveram o primeiro contato com o inimigo – eles fugiram, largaram as suas armas, ficaram assustados e isso foi frustrante.  lo, mas a maioria não o fez bem na primeira vez… 93% dos soldados escolhidos pelo Vietname, no seu primeiro contacto com o adversário, ficaram e lutaram sem hesitações. idade hoje em dia, apesar de estarem mais certos do que os nossos ancestrais.  Eles tiveram mais vontade de agir pela sua pátria no Vietnã do que na Segunda Guerra Mundial. -136bad5cf58d_ Na Segunda Guerra Mundial, sentimos que foi a guerra da Europa ou do Japão… não a nossa guerra para a maioria das pessoas.  Nós não estávamos tão determinados para o fazer. 3194-bb3b-136bad5cf58d_ Com o Vietnã, a maioria dos destacados não pediu para se juntar, se bem que eles foram escolhidos, mas 93% ainda foram e lutaram e fizeram exatamente o que era esperado.  Então eu penso que a imagem seja má pois a comunicação social americana não cobriu exatamente a verdade, eles tentaram encontrar uma versão que vendesse mais jornais.  Muito do que vemos na história e cultura moderna é marketing. _cc781905-5cde-3194-bb3b-13 6bad5cf58d_ Não são fatos.  Como estudante, tu fazes coisas incríveis e estudas muito e tu fazes tudo o que te pedem e a maioria das pessoas não reconhecem o teu trabalho árduo._cc781905-5cde-3194-bb3b -136bad5cf58d_ Acontece o mesmo com os veteranos.   

Benedita:  Você acha que os vietnamitas entenderam por que os americanos estavam lá e o que eles estavam tentando fazer?

 

Jeff:  Antes da América entrar no Vietnã, os franceses estavam lá.  Você está familiarizado com isso?  Os vietnamitas sabiam muito bem o que estava acontecendo porque eles travaram guerras por muito tempo tanto no Norte quanto no Sul e estão conscientes disso.  Muitos deles agradeceram, mas nem todos eles , porque quando você tem dois lados opostos, ambos querem ganhar, então os que não gostam de nós queriam que saíssemos e os que não queriam perder queriam que ficássemos._cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ É muito simples, o Vietnã aconteceu como resultado da ignorância de algumas pessoas e da determinação de outras para sobreviver e seguir em frente.  Em outras palavras, quando os franceses decidiram partir, o Vietnã ficou em perigo e consequentemente todo o Sudeste Asiático e porque a América naquela época tinha tratados com a maioria das nações... então tínhamos a obrigação de ajudá-los se eles nos pedissem.   Então foi isso que aconteceu. quando fui para o exército, eu sabia o que estava acontecendo?  Sim, eu sabia.  Eu pensei que era uma guerra justa e boa?   A resposta é nenhuma guerra é boa, mas essa não é a questão.  A questão é se estou disposto a participar e cumprir minha obrigação como soldado e a resposta foi sim. 

 

 

Benedita:  Você acha que os vietnamitas compreenderem porque os americanos foram lá e qual era o seu objetivo?

 

 

Jeff:  Antes dos Estados Unidos ir para o Vietnam, os franceses testemunharam lá.  Tinhas noção disto? bem o que se estava a passar porque eles lutaram durante muito tempo do norte ao sul e eles tinham conhecimento disto.  , os dois querem ganhar, então o lado que não gostou de nós, queria que nos saíssemos do pais e os que não queriam perder que nos ficassem.  de algumas pessoas e de estrangeiras de outras para sobreviver e seguir em frente. Estados Unidos durante este e o tempo tinha acordos com a maioria das nações… então nós tínhamos a obrigação de ajudar o Vietnã se eles nos pedissem ajuda. Então, isso foi o que aconteceu.  Na altura, quando eu entrei na tropa, saiba eu o que estava a acontecer?  Sim, eu sabia._cc781905- 5cde-3194-bb3b-136bad5cf58d_ Eu pensei que era uma guerra moralmente correta?  A resposta é que nenhuma guerra é boa, mas essa não é a pergunta. A questão é se eu tinha vontade de participar e cumprir a minha obrigação como soldado e a resposta foi sim.  

Francisca:  Depois da guerra, como é que os veteranos lidaram com a experiência?

Eles receberam algum apoio do governo depois que a guerra acabou?

Jeff:   Todo veterano tem muito apoio se você perguntar ao governo.  O governo diz que lhe damos tudo, mas você tem que entender que muitos veteranos foram danificados ou psicologicamente feridos.  Você pode amá-los até a morte e eles não sentem... eles questionam.  Quando as pessoas passam por um trauma, elas precisam viver o suficiente para superá-lo... melhorar._cc781905-5cde-3194-bb3b -136bad5cf58d_ E o governo faz um bom trabalho ajudando-os... mas poderia ser melhor.  Mas ao mesmo tempo todo mundo estava tentando ajudar... por que a América como nação parecia virar as costas para os veteranos do Vietnã?  Principalmente porque foi isso que a imprensa disse para eles fazerem.  A imprensa disse ao público que não era uma guerra justa.  Não há guerra justa.   Há um esforço honroso das pessoas que fazem o seu trabalho e deram o seu melhor. 

Quando a Segunda Guerra Mundial terminou, mais de quatro milhões de soldados americanos recém-saídos do teatro do Pacífico receberam alta antes de voltar para casa.   Eles estavam em navios no meio do oceano e foram informados de que não estavam mais no serviço militar e, quando voltaram para os Estados Unidos, tiveram que encontrar seu próprio caminho para voltar para casa. , eles tiveram que encontrar seu próprio caminho para voltar para casa.  O governo nem mesmo os mandaria para casa.  Foi a Segunda Guerra Mundial._cc781905-5cde -3194-bb3b-136bad5cf58d_ Hoje, pelo menos, fazemos melhor nisso.  Então a resposta é sim, o governo deu muito a eles e ainda dá muito, mas nem sempre dá vontade para o veterano por causa do que eles tiveram que suportar ... o a mágoa não desaparece só porque você chega em casa.  Você a carrega com você por toda a vida.  Muitas vezes não parece que as pessoas ao redor nós realmente sabemos ou realmente nos importamos.   Isso inclui o governo.   

 

 

Francisca:  Depois da Guerra, como é que os veteranos lidaram com a experiência?  Foi-lhes oferecido algum apoio por parte do governo depois da guerra depois da guerra?_cc781905 -5cde-3194-bb3b-136bad5cf58d_

 

Jeff:   Cada veterano tem toneladas de apoios se perguntas ao governo. O governo disse-nos que nos entregamos tudo, mas vocês têm de entender que há muitos veteranos que foram feridos ou feridos psicologicamente. Tu podes amar os mortos e eles não o sentiram... eles questionam isso. Quando as pessoas passam por traumas, elas têm de ser capazes de viver o suficiente para superar-los... ficar melhor. E o governo fez um bom trabalho em dar-lhes essa ajuda... Mas podia ser melhor. Mas ao mesmo tempo toda a gente esteve a tratar de ajudar... porque os Estados Unidos como nação pareciam virar as cotas aos veteranos do Vietnam? principalmente porque isso foi o que a imprensa lhes disse. Os meios de comunicação disserem ao público que não foi uma guerra justa. Ali não houve uma guerra justa. Há um esforço honroso das pessoas que fazem o seu trabalho e deram o seu melhor. sair do teatro do Pacífico foram descarregados antes de regressarem a casa. o seu próprio caminho para regressar a casa.  Se viviam na Costa Leste, mas entraram na Costa Oeste, tiveram de encontrar o seu próprio caminho de regresso a casa._cc781905-5cde-3194-bb3b- 136bad5cf58d_ O governo nem sequer os enviava para casa.  Era a Segunda Guerra Mundial.  Hoje, pelo menos, fazemos melhor isso._cc781905-5cde-3194-bb3b -136bad5cf58d_ Portanto, a res posta é sim, o governo deu-lhes muito e ainda dá muito, mas nem sempre é assim para o veterano por causa do que teve de suportar... a dor não desaparece só porque se chega a casa._cc781905-5cde-3194 -bb3b-136bad5cf58d_ Carregam-na convosco durante toda a sua vida.  Muitas vezes não parece que as pessoas à nossa volta realmente saibam ou realmente se preocupem.  Isso inclui o governo.     

Francisca:  Você vê muito poucas mulheres nos filmes da Guerra do Vietnã, mas há alguns nomes de mulheres no Veteran War Memorial... você conheceu alguma mulher que serviu?

 

Jeff:  Isso serviu.  Sim, muitos.  Mulheres de uniforme são apenas um presente de Deus._cc781905-5cde 3194-bb3b-136bad5cf58d_ Não há nada pior do que uma sala cheia de nós homens que se acham mais importantes do que realmente são.  As mulheres entram no grupo e de repente as pessoas começam a agir humano novamente.

 

Francisca:  Você viu muitas poucas mulheres em filmes sobre a Guerra do Vietnã, mas existem nomes de mulheres num Memorial da Guerra do Vietnã … você conheceu algumas mulheres que serviram na guerra?

 

Jeff:  Que serviram.  Sim, muitas.  Mulheres em uniformes justo e uma prenda de Deus.   Não há nada pior do que uma sala cheia de homens que acharam que eles são mais importantes do que realmente são.  atuar como humanos de novo.  

Francisca: Tem alguém que você conhece e que você perdeu na guerra que você gostaria de mencionar?

 

Jeff:  Curiosamente, um dos fracassos da minha vida... Conheci muitas pessoas... muitas perdi pelo caminho de diversas formas, mas com a idade esqueço See More quem são.  Eu lembro que tinha um piloto que tinha estado na Alemanha... só... ele só caiu e eu nem lembro o nome dele agora, porque em algum momento você tem que colocar as coisas no passado ou elas continuarão te machucando para sempre e então se há alguém que eu gostaria de mencionar... Eu gostaria de mencionar todos que foram para lá por amor ao seu país e não voltaram para casa.

 

Francisca:  Existe alguém que você conhece e que perdeu na guerra e que gostaria de mencionar?

 

Jeff:  Por mais estranho que mataram, uma das quedas na minha vida… eu conheci muitas pessoas… que perde muitas delas no caminho em diferentes maneiras, mas com a minha idade eu esqueci delas._cc781905- 5cde-3194-bb3b-136bad5cf58d_ Eu recordo que teve um piloto que esteve na Alemanha … simplesmente… ele teve um acidente de avião e não me lembro do seu nome agora, porque em algum ponto tu tens que por algumas coisas no passado ou elas continuarão a te ferir para sempre e então se poderia mencionar alguém… gostaria de mencionar todos os que foram a lutar para o pais e que não desistiram para casa.  

Francisca:  O que aconteceu com as viúvas e seus filhos?

Houve muita assistência dada a elas depois que perderam seus maridos?

 

Jeff:  Curiosamente, isso era algo em que éramos péssimos.  Ninguém reclama disso.  Não aceitamos cuidamos das famílias tão bem quanto deveríamos.  Simplesmente não o fazemos.  O benefício por morte é de cerca de 250 dólares por mês._cc781905-5cde-3194- bb3b-136bad5cf58d_ É quase nada.  O que eles fazem é ter seguro para você.  Hoje é melhor, mas durante o período do Vietnã era literalmente quase nada .  Se a família não ajudou a esposa e os filhos, eles não receberam muita ajuda.  Eles simplesmente não o fizeram._cc781905- 5cde-3194-bb3b-136bad5cf58d_ É terrível.

A tradição americana é que honramos o uniforme, não necessariamente honramos a pessoa que o veste, então por isso a intenção do governo é que quem está vestindo o uniforme esteja agindo de forma responsável e heroica, mas tanto quanto todos os seus filhos e seus cônjuges... isso é um assunto pessoal.   Eles forneceram quase nada.   Muito pouco.

 

 

Francisca:  O que se passou com as viúvas e os seus filhos?

Foi dada alguma assistência depois de os seus maridos morrerem?

 

Jeff: Por mais estranho que tentou, isso foi algo em que nós éramos suspeitos.  Ninguém fez reclamação sobre isto. nós devíamos.  Nós simplesmente não o fazemos.  O benefício da morte é ao redor de 250 dólares por mês.  É pouca coisa.  O que eles fazem é fornecer seguros para você.  Hoje em dia é melhor, mas durante o tempo de Vietnam foi literalmente quase nada._cc781905- 5cde-3194-bb3b-136bad5cf58d_ Se a família não se responsabilizasse pela mulher e os filhos eles não receberam muita ajuda.  Eles simplesmente não receberam. É terrível.  

A tradição americana é que nós honramos o uniforme, mas não necessariamente a pessoa que o veste, então por causa disso a intenção do governo e que qualquer um que veste o uniforme é automaticamente responsável e heróico, mas isto não inclui as famílias deles… isto e um tipo de assunto pessoal.  Eles dão quase nada.  Muito pouco.

Coffee Time News:  Qual pergunta você mais gostou?  Qual foi a mais bem pensada?

 

Jeff: Eles foram todos bons, mas uma pergunta que eu apreciei foi perguntar se eu queria mencionar alguém que eu havia perdido e eu realmente aprecio isso porque não podemos pedir desculpas com frequência._cc781905-5cde-3194- bb3b-136bad5cf58d_ É maravilhoso. 

 

Coffee Time News:  Que pergunta gostou mais?  Qual delas foi a que teve que pensar mais?

Jeff:  Todas elas foram boas, mas a pergunta que eu gostei mais foi a pergunta onde me pediram para mencionar alguém que tenha perdido e eu realmente gostei dela nós não podemos dizer que temos pena com muita .  É incrível. 

Notícias da hora do café

bottom of page